Gilson Félix é o novo Desembargador do Poder Judiciário de Sergipe

07 Jun

Após 33 anos dedicados à magistratura, o Juiz de Direito Gilson Félix dos Santos chega ao segundo grau de jurisdição. A solenidade de posse no cargo de Desembargador do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), prestigiada por familiares, amigos, membros do sistema de Justiça e autoridades, aconteceu na tarde desta segunda-feira, 06/06, no auditório do Palácio da Justiça, e foi transmitida pelo canal TJSergipe, no YouTube, onde ficou gravada.

“Chego aqui com o mesmo sentimento do dia 26 de novembro de 1989, quando tomei posse como Juiz, com o compromisso de, como servidor público, procurar fazer o melhor pela coletividade. Continuarei sendo o Juiz que sempre fui. A diferença é que ao invés de decisões monocráticas, solitárias, eu farei parte de um colegiado”, ressaltou o novo Desembargador, que foi promovido pelo Tribunal Pleno, por unanimidade e pelo critério de antiguidade, no último dia 25 de maio. O Juiz, até então titular do 19ª Vara Cível da Comarca de Aracaju, substitui o Desembargador Osório de Araújo Ramos Filho, que se aposentou em maio.

Ainda antes da posse, em entrevista coletiva à imprensa, ele destacou os avanços acompanhados nas últimas décadas. “Acho muito interessante aquela música que diz ‘quando penso no futuro não esqueço do passado’. Quando comecei, a gente tinha uma máquina para datilografar as sentenças, com carbono para colocar uma cópia no livro de registro. A partir de 2005, o Tribunal, na gestão da Desembargadora Marilza Maynard, iniciou o processo eletrônico. E desde então, nosso Tribunal só vem melhorando, com um planejamento estratégico fantástico”, salientou o empossado.

“O Tribunal se glorifica pela presença desse homem que sempre se portou com dignidade, honestidade e sabedoria. Então, essa posse é motivo de alegria porque o Tribunal hoje recebe um dos mais qualificados da judicatura sergipana”, elogiou o Desembargador Edson Ulisses de Melo, Presidente do Poder Judiciário de Sergipe.

A Desembargadora Ana Bernadete Leite de Carvalho Andrade saudou o novo membro do Tribunal Pleno. “Esta posse simboliza um momento de confraternização, da palavra amistosa, da mão estendida e da alegria compartida. Convictos que estamos, todos os seus colegas aqui reunidos, de que sua chegada significa o enriquecimento da Casa”, salientou a magistrada, lembrando que o novo Desembargador tem uma “vocação invencível de lutar pela Justiça”.

Durante o discurso de posse, o Desembargador Gilson Félix citou a importância de Tobias Barreto para o mundo, criticou o descaso com a educação pública, falou sobre a atuação do sistema de saúde durante a pandemia da Covid-19 e lembrou a entrada dele no Judiciário. “Hoje, a turma do concurso de 1989 forma maioria no Tribunal de Justiça de Sergipe”, ressaltou, lembrando de colegas já falecidos e agradecendo o apoio de antigos professores.

O Presidente da Associação dos Magistrados de Sergipe (Amase), Roberto Alcântara, falou sobre a alegria da categoria nesse momento. “É um colega já experimentado, que passou pela Corregedoria, como Juiz-Corregedor; passou pela Presidência do Tribunal, como Juiz Auxiliar; foi Presidente da Amase; substituiu diversos Desembargadores por vários períodos. Enfim, isso tudo nos traz uma tranquilidade por sabermos que a população terá alguém à altura para a prestação jurisdicional”, apontou Roberto Alcântara.

A família esteve presente na solenidade. “Fico muito feliz porque meu pai sempre foi um homem correto, que batalhou desde sempre e conseguiu através dos seus estudos, dando duro e trabalhando corretamente, chegar onde chegou. Fico emocionada por esse momento”, declarou Maria Augusta Félix Tavares, uma das cinco filhas do empossado. Quando questionada sobre as qualidades do pai, ela não hesitou em responder: “é um pai excepcional, um avô sem igual, ele é só amor de verdade”. A Lira Carlos Gomes, de Estância, entoou os hinos de Sergipe e do Brasil.

Trajetória

Gilson Félix é formado em Direito pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) na turma de 1980. Exerceu a advocacia de junho de 1980 a dezembro de 1989, sendo Conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Sergipe. Ingressou na magistratura em 1989, atuando inicialmente na Comarca de Nossa Senhora da Glória.

Em 1992, foi removido para Nossa Senhora das Dores e, no mesmo ano, promovido por merecimento, para a Vara Criminal de Itabaiana. Atuou no Juizado da Infância e Juventude e na Vara Cível de Nossa Senhora do Socorro. Em 2000, foi removido para a então 1ª Vara Privativa de Assistência Judiciária de Aracaju, transformada em 19ª Vara Cível de Aracaju em 2014, unidade onde judicou até o presente momento.

Foi Presidente da Associação dos Magistrados de Sergipe (Amase), no biênio 1984-1985; membro da Turma Recursal; Juiz Eleitoral e membro do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Foi Juiz-Corregedor nos biênios 2003-2005 e 2011-2013; Juiz Auxiliar da Presidência nas gestões dos Desembargadores Marilza Maynard e Cezário Siqueira Neto; e inúmeras vezes convocado para substituir Desembargadores.

Fonte: Agência de Notícias do TJSE


15 Jun

AMASE inaugura reforma com instalações mais confortáveis

AMASE inaugura reforma com instalações mais confortáveis
03 Jun

Desembargadora Iolanda Guimarães assume diretoria da Ejuse

Desembargadora Iolanda Guimarães assume diretoria da Ejuse
03 Jun

IX Jogos Nacionais da Magistratura: comissão aprova locais onde ocorrerá a competição

IX Jogos Nacionais da Magistratura: comissão aprova locais onde ocorrerá a competição