Conselho de Representantes da AMB acompanhará agenda política em 2021

11 Fev

A presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Renata Gil, membros da diretoria e presidentes das associações filiadas se reuniram na tarde desta quarta-feira (10) para debater as pautas previstas para 2021. Renata Gil reforçou que o diálogo com os Três Poderes em Brasília continuará depois das eleições para as presidências da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. No início do mês, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG) assumiram os cargos.

“O diálogo com o Legislativo é de suma importância para a magistratura e para os cidadãos. A criação e a alteração de leis devem ser pró-sociedade. A função de juízes e desembargadores é garantir que elas sejam cumpridas. A AMB tem a missão institucional de trabalhar pelos direitos sociais”, disse a magistrada. A Diretoria de Assuntos Legislativos está elaborando uma agenda propositiva para aprofundar o diálogo com o Congresso.

Renata Gil também falou sobre o trabalho da associação no Supremo Tribunal Federal (STF). A AMB é a única entidade do Judiciário autorizada pela Constituição a ingressar no Supremo com questionamentos sobre a constitucionalidade de leis e medidas que afetam a magistratura nacional e é a maior demandante de Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) na Corte. “A AMB tem se apresentado como um grande escudo de proteção da independência do Poder Judiciário e da autonomia dos tribunais. Isso demonstra o tamanho da instituição e das nossas responsabilidades. No STF, nós defendemos a magistratura com o olhar na sociedade”, disse a magistrada.

O vice-presidente de prerrogativas, Ney Costa Alcântara de Oliveira, pontuou que o jurídico da AMB trabalha em 847 casos em tramitação nos Tribunais Superiores, na Justiça Federal e em Tribunais Estaduais. O departamento encerrou 2020 com 127 pareceres desenvolvidos, além de 13 pareceres elaborados por escritórios contratados. O Jurídico da AMB representa os direitos e interesses institucionais dos associados e defende a valorização e independência do magistrado, assegurando a efetividade de suas garantias.

Na reunião, a presidente Renata Gil também falou sobre a igualdade no pagamento de acumulação de acervo, de função e de auxílio-alimentação. A acumulação de acervo foi uma vitória da AMB no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em 2020. A entidade lutou pela uniformidade na compensação pela cumulação de processos. Agora deseja que todos os magistrados recebam no mesmo patamar.

Mahila Lara

Assessoria de Imprensa da AMB

 


24 Fev

Presidente da AMASE participa de encontro com AMB com presidentes das filiadas sobre defesa da magistratura frente à PEC Emergencial

Presidente da AMASE participa de encontro com AMB com presidentes das filiadas sobre defesa da magistratura frente à PEC Emergencial
19 Fev

Diretoria da AMASE se reúne com o Presidente do TJSE

Diretoria da AMASE se reúne com o Presidente do TJSE
10 Fev

Construção da Casa da Mulher: Senadora garante R$6 milhões em reunião com o TJSE

Construção da Casa da Mulher: Senadora garante R$6 milhões em reunião com o TJSE