NOTA PÚBLICA

12 Jan

 

A Associação dos Magistrados de Sergipe - AMASE vem a público registrar seu repúdio à postura adotada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe – SINDIJUS, relativa às remunerações dos Juízes e Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe.

Alguns eventos do calendário são sempre previsíveis.

Assim como em outros janeiros, mais uma vez, o SINDIJUS veicula notícias de “supersalários” na Magistratura sergipana, omitindo razões e promovendo a desinformação da sociedade.

A recente divulgação do SINDIJUS não esclarece que:

  1. Em dezembro/2020, são pagas parcelas da gratificação natalina (13° salário – direito constitucional de todo trabalhador, art. 7°, inciso VIII, Constituição Federal e verba classificada como “eventual” tanto para Magistrados, como para Servidores);
  2. Em dezembro/2020, são pagos os adicionais de férias (1/3 do subsídio - direito constitucional de todo trabalhador, art. 7°, inciso XVII, Constituição Federal e verba classificada como “eventual” tanto para Magistrados, como para Servidores) daqueles que estarão em gozo das férias remuneradas em janeiro/2021 (historicamente, janeiro é o mês com maior número de Magistrados em gozo de férias);
  3. Em dezembro/2020, fora paga parcela de indenização de licença prêmio, benefício que, igualmente, alcançou os servidores do Poder Judiciário (verba classificada como “eventual” tanto para Magistrados, como para Servidores);
  4. Os valores apontados na notícia são valores brutos e não valores líquidos recebidos pelos magistrados; e
  5. Sobre os subsídios dos magistrados incidem Imposto de Renda e Contribuição Previdenciária, em alíquotas de 27,5% e 14%, respectivamente.

Portanto, retirando as lamentáveis generalizações e desinformações que visam criar falsos desgastes da Magistratura junto à sociedade, todas as verbas recebidas são constitucionais, legais, legítimas e estão limitadas ao teto de remuneração, que é o subsídio dos Ministros do STF.

Ademais, no Portal da Transparência do TJSE, é publicada todo mês a folha de pagamento detalhada, com cópia para auditoria do Conselho Nacional de Justiça, que também publica os dados na internet.

Seguimos vigilantes na defesa dos direitos e prerrogativas da Magistratura sergipana, esclarecendo todas as notícias que objetivem deturpar o debate social responsável e transparente, bem como contra qualquer ato que tenda a ofender a honradez dos membros do Poder Judiciário em todas as suas instâncias.

 

É permitida a reprodução, total ou parcial, desde que citada a fonte.


20 Jan

AMB debate padronização do auxílio saúde com a conselheira do CNJ Flávia Pessoa

AMB debate padronização do auxílio saúde com a conselheira do CNJ Flávia Pessoa
15 Dez 2020

AMASE faz uma festa drive in para encerrar o ano de 2020 com todas medidas de segurança

AMASE faz uma festa drive in para encerrar o ano de 2020 com todas medidas de segurança
09 Dez 2020

STF confirma decisão que igualou teto remuneratório no Poder Judiciário

STF confirma decisão que igualou teto remuneratório no Poder Judiciário