Entrevista da Juíza de Direito, Soraia Gonçalves de Melo na Ascom do TRE-SE

26 Nov

Soraia Gonçalves de Melo

A entrevistada do mês, Dra. Soraia Gonçalves de Melo, é bacharela em Direito pela Universidade Federal de Sergipe, pós-graduada pela Universidade Tiradentes (Unit) e ex-servidora do Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região (TRT-SE). Ingressou na magistratura em 1998 e foi juíza titular das Comarcas de Arauá, Riachuelo, Itabaiana e Nossa Senhora do Socorro. A magistrada também atuou no 2º Tribunal do Júri de Aracaju, na Turma Recursal do Estado de Sergipe. E hoje titulariza a 2ª Vara Criminal de Aracaju, exercendo cumulativamente a jurisdição da 2ª Zona Eleitoral no TRE-SE. Em entrevista exclusiva concedida à equipe da Assessoria de Comunicação do TRE-SE, Soraia Gonçalves fala sobre seu ingresso na magistratura, sua atuação na Justiça Eleitoral, fake news e outros assuntos.

 Ascom: Por que decidiu pela magistratura?

Dra. Soraia: A carreira de magistrada requer muito esforço e dedicação, dada a grande responsabilidade que representa ser um instrumento para a realização de justiça, mas, ao mesmo tempo, é o que sempre me motivou. Nesse papel, tenho a oportunidade de aprender diariamente a lidar com interesses opostos e conhecer realidades diversas. Tudo isso, mantendo a imparcialidade e julgando com base no ordenamento jurídico.

Ascom: Como se sente neste universo do Poder Judiciário e, em especial, da Justiça Eleitoral?

Dra. Soraia: A participação da mulher nos espaços públicos constitui um grande avanço para as instituições, pois garante um exercício de poder democrático, contemplando todos os atores sociais. Sou feliz por ser fruto dessa conquista histórica do gênero feminino e figurar na vida pública, sobretudo, na missão tão profícua de prestar jurisdição. Na Justiça Eleitoral, tenho muita honra em poder colaborar no processo que garante a soberania popular.

Ascom: Gostaria de citar algum fato marcante deste período de judicatura?

Dra. Soraia: Ter comandado a maior Zona Eleitoral do Estado no pleito de 2018 foi um grande desafio. Através de planejamento e de estratégias em conjunto com os servidores do Cartório Eleitoral, conseguimos mapear as dificuldades encontradas e, num resultado surpreendente, encerramos o processo eleitoral de forma muito célere, sendo a primeira zona da capital a concluir os trabalhos. Isso só se deu porque todos colaboraram com empenho e dedicação para que tudo ocorresse de maneira organizada e sem grandes problemas.

Ascom: Fale um pouco sobre a influência das fake news no processo eleitoral?

Dra. Soraia: Infelizmente, as notícias falsas têm invadido nosso dia a dia nos fazendo questionar sobre cada manchete recebida. Apurar uma fake news é um processo que demanda investigação minuciosa e, mesmo com todas as dificuldades encontradas e a alta velocidade com que as notícias se propagam, a Justiça Eleitoral tem atuado de maneira dura para combatê-las. Sou otimista e crente de que o Judiciário continuará adequando-se de forma mais eficaz à nova realidade digital, colocando em prática leis mais específicas que regulamentem o uso das redes sociais na campanha eleitoral.

Ascom: Deixe uma mensagem aos eleitores.

 Dra. Soraia: É preciso que o cidadão compreenda o voto como um direito de participar do processo que dará rumo ao futuro do país. É mais que um direito, é uma responsabilidade de todos. O voto de cada um faz muita diferença, já que o resultado final de uma eleição afeta a vida de toda a população. Essa participação é de extrema importância, porque é assim que garantimos o sistema democrático. Somos regidos por uma Constituição criada no processo de redemocratização do Brasil e que garante o nosso direito ao voto.

 

Fonte: Ascom Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe


04 Dez

TJSE reúne gestores municipais para apresentar ações nas áreas da infância, juventude e mulher

TJSE reúne gestores municipais para apresentar ações nas áreas da infância, juventude e mulher
03 Dez

AMASE define a logomarca e a agência de turismo para os Jogos Nacionais da Magistratura

AMASE define a logomarca e a agência de turismo para os Jogos Nacionais da Magistratura
02 Dez

Paz em Casa: Coordenadora da Mulher do TJSE fala sobre feminicídio na Câmara Municipal

Paz em Casa: Coordenadora da Mulher do TJSE fala sobre feminicídio na Câmara Municipal